A mini-clínica para os atletas da seleção brasileira que irão ao Mundial Júnior de Dubai trouxe duas explanações sobre o que a CBDA espera das mudanças de regras, em específico do nado de peito (o mais polêmico) e no nado de costas (o mais trabalhoso).

As explanações fizeram parte da apresentação do Coordenador Técnico da CBDA, Ricardo de Moura, onde apresenta as possíveis mudanças nas regras de natação, que serão discutidas e votadas durante a Assembléia da FINA, no Campeonato Mundial de Barcelona.

A mais polêmica é o nado de peito. Segundo a apresentação, a mudança mais provável de ocorrer é de limitar a filipina da saída até os 15 metros, com múltiplas golfinhadas:

“Após a saída, o nadador pode dar uma braçada completa até as pernas, enquanto o nadador estiver completamente submerso para uma distancia não maior que 15 metros. Múltiplas pernadas de golfinho são permitidas enquanto completamente submerso. Durante o percurso a cabeça do nadador deve quebrar a superfície da água, o ciclo do nado deve ser uma braçada e uma pernada nesta ordem. Todos os movimentos dos braços devem ser simultâneos e no mesmo plano horizontal sem movimentos alternados. No último ciclo antes da volta (virada) e da chegada, uma braçada de peito não seguida da pernada é permitida. Após cada volta (virada), o nadador pode dar uma braçada completa até as pernas, enquanto o nadador estiver completamente submerso. Uma única pernada de golfinho é permitida enquanto completamente submerso, a cabeça do nadador tem que quebrar a superfície da água, o ciclo do nado deve ser uma braçada e uma pernada nesta ordem.”

Já a segunda é o uso de um equipamento para a saída do nado de costas, a exemplo do que acontece com as saídas do bloco, que ajudam o impulso do nadador:

Screen Shot 2013-05-20 at 23.38.54

 

Segundo a apresentação, testes foram feitos durante o Troféu Maria Lenk, e a conclusão é positiva, apesar da ressalva do ajuste e o equipamento não ser rápido ou prático.

Screen Shot 2013-05-20 at 23.47.34

Screen Shot 2013-05-20 at 23.47.49

Screen Shot 2013-05-20 at 23.47.57

Screen Shot 2013-05-20 at 23.48.05

2 respostas
  1. Ronaldo Viegas
    Ronaldo Viegas says:

    Não entendi. A forma de apresentar a matéria acima sobre o nado de Peito não está clara. Foi sublinhado que pode haver, por parte do nadador : “Múltiplas pernadas de golfinho são permitidas enquanto completamente submerso”. Isso é o que se pretende com uma nova regra?

    Responder
  2. FLAVIO ANTONIO DE SOUZA CASTRO
    FLAVIO ANTONIO DE SOUZA CASTRO says:

    Nem sempre ficar com o corpo tão fora da água na saída de costas é positivo, já que com o corpo fora da água perde-se o efeito do empuxo (para cima). Parte do corpo dentro da água é positivo devido ao peso hidrostático (peso real – empuxo)…há que se avaliar melhor…

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *