Autor • Redacao
Fonte • COB
Sheilla Castro (vôlei feminino) e Arthur Zanetti (ginástica artística)

Sheilla Castro (vôlei feminino) e Arthur Zanetti (ginástica artística)

Sheilla Castro, bicampeã olímpica com a seleção feminina de vôlei, e Arthur Zanetti, campeão olímpico na ginástica artística (argolas), são os melhores atletas brasileiros de 2012. Após votação através de um colégio eleitoral e do público, via Internet, o anúncio dos vencedores foi feito na cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico, organizada pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) na noite desta terça-feira, dia 18, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Este ano o tema da cerimônia foi ‘Rio – A vez de todos’, em alusão aos Jogos Olímpicos Rio 2016. O evento homenageou também os medalhistas nos Jogos Olímpicos Londres 2012, além de personagens que marcaram o ano do esporte brasileiro.

Oposto da seleção feminina de vôlei, Sheilla foi uma das peças fundamentais na campanha vitoriosa em Londres 2012. Após ver o Brasil quase eliminado ainda na primeira fase, a atacante e suas companheiras de equipe reagiram durante a competição e conseguiram repetir a medalha de ouro obtida em Pequim 2008, com uma vitória de virada sobre os Estados Unidos na final por 3 sets a 1. Com isso, Sheilla tornou-se bicampeã olímpica, feito realizado por apenas 12 atletas brasileiros, entre eles cinco companheiras de seleção. “Estou muito feliz em ganhar este prêmio. Confesso que estava bastante tensa porque concorri com duas meninas muito fortes. Quero compartilhar essa conquista com todas as jogadoras da seleção e ao técnico, já que se trata de um esporte coletivo”, disse Sheilla, dedicando o prêmio à avó.

Arthur Zanetti também fez história em Londres 2012 ao conquistar a medalha de ouro nas argolas, a primeira medalha olímpica da ginástica brasileira. Em Londres, já havia vencido o evento-teste dos Jogos Olímpicos. Ainda em 2012 obteve a medalha de prata na Copa do Mundo de Cottbus, na Alemanha. “É um prazer enorme receber o Prêmio Brasil Olímpico. Queria agradecer a todos que torceram por mim e aqueles que me ajudaram, principalmente meus  companheiros de equipe. A ginástica é um esporte individual, mas sem eles eu não teria conseguido”, disse Zanetti.
Além dos vencedores, concorreram ao prêmio Melhor Atleta do Ano Sarah Menezes (judô) e Yane Marques (pentatlo moderno), no feminino, e Esquiva Falcão (boxe) e Thiago Pereira (natação), no masculino. “Esta cerimônia celebra vários de nossos heróis”, disse Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro. “Temos enorme confiança no resultado de nossos atletas, que são a principal razão dos Jogos Olímpicos. Esta é uma caminhada que parece longa, mas será curta até os Jogos Olímpicos Rio 2016”, completou Nuzman.

Além do presidente do COB e de diversos atletas, estiveram presentes à cerimônia o ministro do Esporte, Aldo Rabelo, representando a presidente Dilma Rousseff; a secretária estadual de Esporte e Lazer, Márcia Lins, representando o governador Sérgio Cabral; o secretário municipal de Esporte e Lazer, Romário Galvão Maia, representando o prefeito Eduardo Paes; o presidente da Autoridade Pública Olímpica, Márcio Fortes; presidentes de Confederações Brasileiras Olímpicas, presidentes de clubes, patrocinadores, entre outros.

A escolha dos melhores atletas em cada uma das 43 modalidades e a definição dos três indicados em cada categoria, masculina e feminina, para concorrer ao Troféu Melhor do Ano no Esporte foi realizada por um júri composto por jornalistas, dirigentes, ex-atletas e personalidades do esporte. Este voto teve peso de 50% na eleição final para os melhores do ano, depois de serem computados os votos do público pela Internet.

Em sua 14ª edição, o Prêmio Brasil Olímpico 2012 prestou homenagens ainda a outras categorias. Marcos Goto, técnico do ginasta Arthur Zanetti, foi escolhido pelo COB o Melhor Técnico Individual. Já José Roberto Guimarães, treinador da seleção brasileira feminina de vôlei, foi escolhido o Melhor Técnico de Esportes Coletivos.

A campeã mundial e medalhista olímpica de prata no basquete, Hortência Marcari, recebeu o troféu Adhemar Ferreira da Silva, dedicado a ex-atletas cujas carreiras foram marcadas pela ética, respeito ao próximo, companheirismo e sentido de coletividade. “É uma honra muito grande receber esta homenagem. Eu já tinha esquecido o que é sentir esta emoção”, disse Hortência, às lágrimas. “Meus filhos não me viram competir, mas hoje puderam assistir à mãe recebendo essa grande homenagem”.

Em reconhecimento à iniciativa da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e por indicação do COB, o projeto MiniAtletismo recebeu o Troféu COI – Esporte e Desenvolvimento Sustentável, oferecido pelo Comitê Olímpico Internacional. O objetivo do projeto é tornar o esporte mais praticado nas escolas e levá-lo a lugares sem infraestrutura e equipamentos, a partir da capacitação de treinadores e professores de Educação Física. O projeto é voltado a crianças entre 7 e 12 anos e já capacitou 2.652 professores em 53 clínicas realizadas em 18 estados brasileiros.

O futuro do esporte brasileiro também recebeu homenagens especiais. Por indicação do COB, Felipe Souza (Colégio Santa Cecília-SP, natação), Mayara SIñeriz (Escola Municipal de Educação Fundamental Eber Louzada Zippinotti-ES, ginástica rítmica); Matheus Santana (Colégio Legrand-RJ, natação) e Camila Nogueira (Colégio Mace-MS, judô) conquistaram o prêmio de Melhores Atletas das Olimpíadas Escolares. Por indicação da Confederação Brasileira de Desportos Universitários (CBDU), os atletas Henrique Martins (UNIP-SP, natação) e Gilailce Trigueiro de Assis (Unifor-CE, atletismo) receberam o prêmio de melhores atletas das Olimpíadas Universitárias.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *