Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming

 

Quem foi diz que foi triste, talvez melancólico seja a palavra mais certa mas uma coisa é quase unânime, algo precisa ser feito, o Troféu Julio Delamare não pode continuar da forma que está,

O Campeonato Brasileiro Júnior de Verão disputado no Corinthians deixou a todos bastante desmotivados com a competição e com o futuro dela.

Estamos falando de uma competição que tem 31 anos de vida, já revelou inúmeros bons nadadores e faz parte da história da natação brasileira. Mais que isso, um Campeonato Brasileiro Júnior, nos atuais padrões da atual rota da natação mundial é imprescindível.

Falo isso já que o nosso esporte "envelheceu", ou amadureceu, mas uma prova de alto nível no padrão internacional é coisa de 22-23 anos para lá. Garotada mais nova, se aparecer, é fenômeno, é exceção.

Assim, precisamos fazer alguma coisa para manter esta geração 17-19 anos na piscina, motivada e treinando. Se não fizermos isso, teremos um verdadeiro hiato na atual elite nacional e a próxima onda que vem por aí, se é que isso já não está acontecendo.

O problema, ou seia a realidade, é que os nadadores hoje estão mais tempo no esporte, conseguem se manter, viraram semi-profissionais ganhando o suficiente para se manter no alto nível. Isso reduziu o espaço para a nova geração e por conta disso precisamos fazer algo.

Nos Estados Unidos, melhor natação do mundo, já se identificou isso muito claro. Surgiram os centros de treinamento pós-faculdade, os campeonatos nacionais absolutos vão passar a ter as finais C somente para nadadores até 18 anos, e as seleções júniors passaram a ter mais espaço no cenário nacional e internacional.

No Brasil, onde ainda estamos muito distantes da realidade americana e até internacional, acabar com o Julio Delamare não pode ser uma opção, mas não pode mesmo.

Existem outras razões que deixaram a situação deste ano ainda pior como o conflito com as datas do vestibular, ou o fato de termos passado dois anos com o Delamare sendo eliminatória do Open. Trazer a competição de volta não quer dizer que ela vai brilhar automaticamente.

O Conselho Técnico Nacional precisa rever o evento. Precisa colocar idéias e tentar incrementar a importância da competição. Eu particularmente tenho uma idéia que minimizaria os problemas de quantidade de atletas e deixaria as finais mais interessantes. Acho que as eliminatórias deveriam ser o Campeonato Brasileiro Júnior I e II, mas nas finais, apenas os oito melhores de cada prova, nadariam o Campeonato Brasileiro Júnior, onde as duas categorias disputariam a final em conjunto. Isso, com certeza, criaria uma nova disputa, algo que motivaria e também acrescentaria no nível técnico, já que reuniríamos os oito melhores tempos das duas categorias numa só prova.

Colocar idéias é até fácil, fazê-las funcionar é mais difícil mas toda mudança precisa ter um objetivo.

Ainda concorremos contra aqueles que ainda insistem em pedir para acabar com o Delamare. Estes, desconhecem por completo a própria realidade da natação nacional. Dizer que os nadadores júniors estão a passar por cima do Delamare para se preparar para o Open é ainda mais irreal. Menos de 10% dos nadadores que estiveram no Delamare vão chegar a final do Open, e talvez 1% deles possam sonhar com medalhas.

A realidade é que estamos convivendo uma coisa boa (a extensão do tempo de vida do nadador) e com uma coisa ruim (o risco de perder as gerações de baixo). Algo precisa ser feito, mas acabar com o Delamare jamais pode ser uma opção.

 

Alex A. Pussieldi, editor chefe da Best Swimming Inc. 

0 respostas
  1. Roberto Caminha Filho
    Roberto Caminha Filho says:

    A natação brasileira não pode acabar com nada do que foi feito pelos bons. Que tal criara alguma coisa nova?
    Os Estados Unidos criaram Colorado Springs, o México tem Las Lomas. Que tal alguma coisa em Brasília, Curitiba ou qualquer outra cidade com altitude perto de 1000m. E com pessoas tipo Mazza, Alarcon e Blanco.
    Êta falta de gente para pensar como se fazia no Rio e São Paulo há uns vinte e cinco anos!

    Responder
  2. Mario
    Mario says:

    Concordo plenamente Coach , o Julio Delamare é uma história dentro da Natação brasileira que não pode jamais ficar de fora do cenário n acional , muito pelo contrário , necessita de mudanças e incentivos.
    Abços

    Responder
  3. Ricardo Martins
    Ricardo Martins says:

    Como você mesmo disse com atletas semi-profissionais esta competição está morrendo e ela não vale índice para nada, portanto para alguns aletas que querem ser profissionais e são os que fazem acontecer, pois para estes o esporte está acima de um vestibular, será preciso valorizar a competição permitindo que ela alcance índices para provas internacionais pois nesta categoria se não estiver nadando para brigar pelo índice é melhor estudar e passar para uma boa universidade, essa é a realidade de um país que não consegue consiliar os estudos com o esporte, pois até hoje niguém acredita nele.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *