Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming

 

Terminou a Copa do Mundo 2011! E daí?

 

Realmente, e daí? O evento continua a ser a dor de cabeça da FINA pois a cada ano o interesse cai ainda mais.

 

Este ano, abriu-se um novo mercado, uma opção inteligente ao dar a Ásia mais espaço. As etapas de Singapura, Beijing e Tóquio foram bem mais atrativas que as etapas do Brasil e da África do Sul, onde o Circuito tinha passagem obrigatória nos últimos anos.

 

Mesmo assim, foram poucos os atrativos e o evento continua sendo um investimento muito mais alto do que qualquer retorno técnico ou financeiro. Menos mal que tivemos um recorde mundial, graças ao novo fenômeno americano Melissa Franklin e os 200 costas de Berlim (2:00:03). O recorde quebrou o jejum do Circuito passado de 2010 sem qualquer recorde mundial. Estava até difícil de encarar isso já que em 2009, com a ajuda dos super trajes, tivemos o recorde dos recordes com 37 marcas mundiais batidas.

 

A realidade agora é diferente, mas o problema é o mesmo: a Copa do Mundo não é atrativa. Mesmo com a ajuda de um patrocinador forte (Arena tem contrato até 2013), o evento parece ter os dias contados. O investimento também foi grande em levar Michael Phelps para duas etapas européias e ainda teve a ajuda da volta (fracassada) de Ian Thorpe nas etapas asiáticas.

 

Se é para falar mal, então que tal a etapa inicial de Dubai, sem dúvida, o maior vexame já organizado pela FINA, num evento que reuniu meia dúzia de gatos pingados na competição de pior nível dos últimos anos.

 

Tem gente que gosta da Copa do Mundo. Principalmente aqueles que embolsam a premiação. Dinheiro sempre é bom, e não sou contra isso, apenas acho que o formato é desgastante, sem atração e sem perspectiva.

 

Esportes como ginástica olímpica, muito menos popular que a natação, tem uma Copa do Mundo muito mais disputada e atrativa. Não vou nem falar na Copa do Mundo do Atletismo, esta então premia o vencedor final com um milhão de dólares.

 

Não vai se conseguir fazer uma Copa do Mundo boa se não tivermos as maiores estrelas presentes. Escutei isso do próprio Cornel Marculescu em uma reunião da FINA no ano passado. Concordo inteiramente e acho que a FINA está sendo incoerente ao não fazer nada para que isso aconteça.

 

A Copa do Mundo é o que é, começou, terminou e ninguém deu a mínima bola.

 

Alex Pussieldi, editor chefe da Best Swimming Inc. 

0 respostas
  1. Pontador de Contos
    Pontador de Contos says:

    Parabens pelo texto. Espelha muito bem o sentimento que tenho ao final de cada um dos Campeonatos Brasileiros Absolutos, seja verão ou inverno.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *