Autor • Alex Pussieldi
Fonte • Best Swimming

 

Começamos 2011, o último ano que antecede ao final deste ciclo olímpico. É incrível como muita coisa mudou nestes ultimos anos. Os resultados internacionais recentes nos deram uma dimensão e principalmente uma ambição muito maior. Hoje, com frequência escuto treinadores da Seleção Brasileira falarem em medalhas olímpicas. É como se o caminho desta longa jornada tivesse encurtado, e realmente está bem menor. 

 

Nossa natação melhorou tremendamente. E não estamos falando só de Cesar Cielo. Temos outros nadadores que se reservam ao direito de sonhar com este lugar mais desejado do nosso esporte. 

 

Ao iniciarmos o ano anterior do ciclo olímpico de 2008, tínhamos seis performances e quatro nadadores entre os 25 do mundo. Entramos 2011 com oito nadadores e 11 performances entre as 25 do ranking mundial. 

 

Mudou também a estrutura da natação brasileira. Não somos mais “filhos únicos” do Correios e da CBDA. Clubes hoje investem em grandes eventos, viajam pelo mundo, treinamento de altitude e competições internacionais. 

 

Os atletas estão mais valorizados, mais patrocínios em nosso esporte e uma maior exposição. 

 

Quem também cresceu demais foram as águas abertas. O Brasil hoje pode ser relacionado como uma das cinco maiores poténcias mundiais deste esporte. Poliana Okimoto e Ana Marcela Cunha são nomes fortissimos para medalhas em Londres, não só nas análises brasileiras, mas em qualquer um que entenda deste esporte a nível mundial. 

 

O Brasil agora tem competições com eliminatórias, semfinais e finais. Encara o Pan como um evento a mais, e não com aquela “fome” por medalha que o Pan do Rio nos entorpeceu. Os atletas brasileiros estão mais conscientes, mais determinados e em busca de maiores vôos. 

 

O  número de nadadores que investem nas suas próprias carreiras aumentou incrivelmente. Não é apenas aquele que vai estudar e treinar nos Estados Unidos com bolsa, mas atletas que investem em suas carreiras e vão ao exterior para se aprimorar, competir, crescer. Subsidiados pelo próprio bolso, a vontade de se realizar cresceu e muito. 

 

Agora é encarar 2011 de frente e elevar ainda mais o nível da barra do limite do nosso esporte. Afinal, se realmente queremos fazer sucesso em Londres 2012, este é o ano de fazer as marcas e se consolidar no alto nível mundial. 

0 respostas
  1. fernando brandão 74 anos
    fernando brandão 74 anos says:

    estou de acordo com quase tudo, mas o Pan Rio trouxe comerteza novos adeptos para a natação. Espero que o Vasco tb entre nessa onda.

    Responder
  2. lala
    lala says:

    Parábens pelo novo. Tudo que é novo sempre é super benvindo. Grande aquisição para a cobertura de notícias para o site. Sangue novo, reflete em bons frutos.Sábias palavras. Acredito que por parte dos atletas é realmente como você colocou-se. Espero tal empenho de nossos caciques vejam a materia em debora.prado@carosamigos.com.br.Acreditar sempre desistir jamais.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *