quarta-feira, Janeiro 17, 2018
Home Blog

CBDA emite boletim sobre regulamentação de trajes para mirins em 2018

0

PROIBIÇÃO DE TRAJES TECNOLÓGICOS PARA ATLETAS DAS CATEGORIAS PRÉ-MIRIM, MIRIM 1 E MIRIM 2 (10 ANOS OU MENOS)
Rio de Janeiro, 3 de Janeiro de 2018.

Boletim 02/2018
JAR

ASSUNTO: USO DE TRAJES TECNOLÓGICOS PARA ATLETAS DAS CATEGORIAS PRÉ-MIRIM, MIRIM 1 E MIRIM 2 (10 anos ou menos)

Ilmo Sr(a). Presidente de Federação,

Em atenção ao Boletim n.199/2017 emitido em 13 de Setembro de 2017, comunicamos que a partir desta data está proibida a utilização dos chamados “trajes tecnológicos” para todos os atletas das categorias Pré-Mirim, Mirim 1 e Mirim 2 (10 anos ou menos, idade a ser considerada em 31/12/2018) que participam de competições oficiais organizadas e sancionadas pelas Federações Aquáticas Estaduais Brasileiras e por esta Confederação, nas modalidades de natação e maratonas aquáticas.

Como definição de “trajes tecnológicos”, em linhas gerais, não será permitida a compressão, o material e o formato típicos de um traje de alta performance cuja lista pode ser conferida em https://www.fina.org/content/fina-approved-swimwear, sendo permitido apenas o uso de sungas (masculino) e maiôs (feminino) tradicionais e amplamente disponíveis no mercado.

O Árbitro Geral da competição será o responsável por analisar e julgar se o atleta está utilizando um “traje tecnológico” e poderá instruir sua própria equipe de arbitragem para auxiliar na análise. No caso de protestos ou dúvidas, a Comissão de Arbitragem da CBDA dará o parecer final e irrevogável especificamente sobre este assunto. Caso seja identificado que o atleta está utilizando um traje tecnológico, o atleta não será desclassificado, mas seu resultado final não será considerado válido e, portanto, não poderá participar de premiações (se houver) e pontuações (se houver) e outros relatórios ou prêmios que fazem referência aos resultados de uma competição.

Sugerimos fortemente que em caso de dúvidas seja consultada a Comissão de Arbitragem da CBDA através do e-mail [email protected] para dirimir e esclarecer o assunto antes de qualquer evento oficial.

Solicitamos que o presente Boletim seja amplamente divulgado entre os seus clubes filiados e informamos que o original encontra-se assinado pelo Presidente da Comissão e arquivado na sede da CBDA.

Atenciosamente,
Comissão de Arbitragem da CBDA

Brazucas dominam ranking Top 20 da Divisãodo NCAA

0

Ontem, a Best Swimming publicou os atletas brasileiros que estão no ranking Top 20 do NCAA Divisão I. Hoje, vamos destacar a verdadeira legião brazuca que invade o ranking Top 20, o Top 10 e até liderando o ranking da Segunda Divisão do NCAA na natação universitária americana.
Como na Divisão I, apenas homens estão entre os 20 melhores tempos de todas as provas na Divisão II.

Confira prova a prova as posições dos brazucas:

50 jardas livre
4o Victor Rocha Furtado da Florida Tech 19.97
13o Guilherme Zavanelli de Indianapolis 20.25

100 jardas livre
2o Victor Rocha Furtado da Florida Tech 43.49
9o Guilherme Zavanelli de Indianapolis 43.94
18o Thiago Rosa do Emmanuel College 44.63

200 jardas livre
1o Guilherme Zavanelli de Indianapolis 1:35.11

500 jardas livre
11o Matheus Isidro de Lindewood 4:28.82
19o Vitor Botana de Indianapolis 4:30.51

1000 jardas livre
17o Matheus Isidro de Lindewood 9:25.54

100 jardas costas
6o Rodrigo Codo Berti de Indianapolis 47.73
10o Thiago Rosa do Emmanuel College 48.86

200 jardas costas
3o Rodrigo Codo Berti de Indianapolis 1:44.48

100 jardas borboleta
7o Matheus Isidro de Lindewood 47.95
11o Victor Rocha Furtado da Florida Tech 48.36

200 jardas borboleta
2o Matheus Isidro de Lindewood 1:46.11

200 jardas medley
2o Rodrigo Codo Berty de Indianapolis 1:47.18

400 jardas medley
12o João Ribeiro da Wayne State 3:55.39

Veja o ranking completo aqui:
https://www.collegeswimming.com/times/?page=1&gender=M&event=5200&division=2&conference=&season=2017-2018

Curitibano reforça equipe com 5 atletas para 2018

0

Num ano histórico para o Clube Curitibano com a conquista inédita do título de campeão brasileiro infantil, a equipe manteve todas as suas principais estrelas para 2018. Mais que isso, no início dos treinamentos, cinco novos nadadores foram incorporados ao programa. Todos para a equipe principal.

Ana Carla Carvalho é a quarta melhor nadadora do Brasil nos 50 metros peito (31.13) e quinta melhor nos 100 metros peito (1:09.19). Depois de um belo início na Unisanta, Ana Carla defendia o Pinheiros desde 2008.

Os demais reforços foram:

Natália Amano, veio do Centro Olímpico, especialista nos 50 e 100 costas

Daniel Mendes, ex-SESI-SP, especialista nas provas de 50 e 100 metros nado livre

Isabela Molliner, ex-Centro Olímpico especialista nos 100 e 200 metros peito

Stephanie Silva, ex-Centro Olímpico, velocista 50 e 100 metros nado livre

Tradicional revelador de talentos, o Clube Curitibano quer elevar o seu programa e repetir a década de 80-90 quando conseguiu os melhores resultados da história do clube nas competições nacionais júnior e absoluto.

Fotos dos reforços da equipe paranaense para 2018:

Nadando na Frente Maringá abre 2018 com 63 crianças

0

Início forte previsto para amanhã no Projeto Nadando na Frente no seu mais novo pólo em Maringá, no Paraná. A cidade abriu o programa no Centro da Juventude Antonio Paulo Pucca, Conjunto Borba Gato, com 63 crianças entre 7 a 14 anos de idade.

Iniciativa do Instituto de Esportes em parceria com a Prefeitura de Maringá, o Projeto Nadando na Frente prevê abertura de novas vagas após o Carnaval.

O Projeto Nadando na Frente tem sido um dos mais ativos e bem sucedidos programa de natação social no país e tem em Maringá, o seu primeiro pólo oficialmente apoiado por uma Federação estadual, a Federação de Desportos Aquáticos do Paraná.

Apadrinhados por Fernando Scherer, o Xuxa, as crianças participantes do Projeto recebem um kit completo que conta com material de apoio para as aulas, incluindo touca, óculos, sunga ou maiô e camiseta.

Com o apoio do Prefeito Ulisses Maia, o Projeto que já tem 12 anos de atuação está sendo coordenado pela APAN Maringá com professores cedidos pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer de Maringá.

Interessados na lista de espera do Projeto Nadando na Frente de Maringá entrar em contato com (44) 3901.6528 com a professora Ana Maria Feltrin.

Eric Sona é o novo técnico do Infantil do Esperia

1

Mudança de treinador e junto levando uma equipe inteira. Eric Sona, destacado treinador da categoria infantil na temporada passada a frente do Instituto Novos Cielos Centro Olímpico anunciou hoje o seu destino para 2018. Vai dirigir a equipe infantil do Clube Espéria para onde está se transferindo com todo o seu grupo de atletas.

Sona dirigiu a equipe que conquistou o título de campeã brasileira Infantil I no ano passado e leva o grupo todo junto com os atletas Petiz II para formar um dos melhores grupos de infantil do país.

O Clube Esperia é conhecido pelo trabalho de base e tem conquistado excelentes resultados nas temporadas passadas nas águas abertas com títulos nacionais por categoria.

A contratação de Eric Sona foi conduzida pelo diretor Cristiano Kapp que com o aval do Presidente Osmar Monteiro montaram um grupo bastante competitivo para 2018.

O grupo de Eric Sona no Infantil do Clube Esperia vai ter:
Infanfil I
Joanna Farina
Maria Clara de Souza
Matheus Alencar
Nicolas Reis
Gabriel Lopes
Arthur Cataldi
Gabriel Messias

Infantil II
Ana Clara Rodrigues
Ana Carolina Lobo
Stephan de Freitas
Gabriel Torres
Gabriel Filip
Theo Ramos
Alan Nicholas Nazares

Localizado na zona norte de São Paulo, o Clube Esperia é um clube centenário com uma área de 80 mil metros quadrados e uma tradição de revelar grandes atletas. Sairam de suas filieiras o tenista Fernando Megligeni, o navegador Amyr Klink e o Major Sylvio de Magalhães Padilha que depois de uma carreira de destaque no atletismo foi Presidente do COB e integrante do COI.

No ano passado, o grupo de Eric Sona brilhou nos campeonatos nacional e paulistsa sendo que manteve apenas o grupo Infantil. O seu grupo de nadadores Infantil II de 2017 que este ano passou para o Juvenil se transferiu para o Pinheiros.

Cenas dos primeiros dias do training camp de Hugo Lobo

0

Abrindo a temporada de 2018, o treinador Hugo Lobo Filho realiza um training camp em Brasília com a presença de atletas de diferentes clubes e estados.

Hungria faz training camp na Tailândia

0

Fugindo do rigoroso inverno, alguns nadadores da Seleção Húngara estão em training camp na Tailândia.

3 nadadores brazucas no Ranking Top 20 do NCAA divisão I

0

Estamos chegando próximo das Conferências Universitárias, última oportunidade para os atletas alcançarem os fortes índices de participação do Campeonato Universitário Americano Divisão I de 2018. Até agora, apenas três nadadores brazucas em quatro provas aparecem no ranking Top 20 da temporada, todos no masculino.

Dos três nadadores, Vinicius Lanza da Indiana University é o único veterano do grupo, faz o seu terceiro ano de NCAA, e está em 7o lugar nas 200 jardas borboleta com 1:41.50 e 8o lugar no ranking das 200 jardas medley com 1:43.15.

Os outros dois, Luiz Gustavo Borges da Universidade de Michigan e Caio Pumputis da Georgia Tech fazem a sua primeira temporada. Luiz Gustavo Borges está em 19o lugar no ranking nacional na prova das 50 jardas livre com 19.43. Caio Pumputis aparece num destacado sexto lugar, a melhor posição brasileira até agora, nas 200 jardas peito com 1:53.80.

No último final de semana, Gabriel Fantoni estreou pela Indiana University num dual meet contra Michigan. Fantoni venceu os 100 costas (47.43), ficou em terceiro nos 200 costas (1:45.85) e em terceiro nos 100 borboleta (47.97). Junto com Vinicius Lanza que venceu os 200 borboleta (1:43.85) e 200 medley (1:46.19) e ficou em segundo nos 100 borboleta (46.58) fizeram história na piscina de Michigan na primeira vitória de Indiana na casa do adversário nos últimos 37 anos. Luiz Gustavo Borges, atleta de Michigan, também nadou a competição e ficou em terceiro lugar nos 100 livre (44.99).

No time de nadadores brasileiros que disputam a Divisão I do NCAA ainda se aguarda pela liberação de Brandonn Almeida que está treinando e estudando na University of South Carolina. Seu status foi contestado e já foi formulado o processo de defesa. Brandonn segue treinando e espera poder competir na Conferência SEC que acontece em fevereiro pela sua equipe.

Para consultar o ranking dos tempos da temporada NCAA 2017/2018 na íntegra consulte aqui:
https://www.collegeswimming.com/times/?page=1&gender=M&event=5400&division=1&conference=&season=2017-2018

Best Vídeo: Mireia Belmonte & Fred Vergnoux entrevistas imperdíveis

0

Excelente trabalho de um Canal de Youtube espanhol ValentiEstaLoco que foi até Sierra Nevada, no centro de treinamento de altitude, acompanhar os treinamentos e em entrevistas muito boas e esclarecedoras.

Aqui com o treinador Fred Vergnoux

Entrevista com Mireia Belmonte

Acompanhando um dia de treinamento de Mireia Belmonte

Há 20 anos, Ian Thorpe se tornava no mais jovem campeão mundial da história

0

15 de janeiro, há exatos 20 anos, Ian Thorpe vencia os 400 metros nado livre no Campeonato Mundial de 1998 em Perth, se tornando no mais jovem campeão mundial da história.

Nascido em 13 de outubro de 1982, Thorpe tinha apenas 15 anos, três meses e dois dias ao tocar em primeiro lugar e vencer a prova com 3:46.29, apenas 15 centésimos de vantagem sobre Grant Hackett em uma das duas dobradinhas australianas naquele Mundial. A outra veio com Susie O’Neil e Petria Thomas nos 200 borboleta.

Thorpe já havia ganho uma medalha no Mundial ao fechar o revezamento 4×200 metros nado livre em performance que deu o ouro a Austrália e novo recorde de campeonato.

Naquela época, os 400 metros nado livre em Mundiais tinha final A e B. Thorpe foi o segundo melhor tempo nas eliminatórias com 3:51.42 enquanto o italiano Emiliano Brembila que nadou na mesma série fez o melhor tempo 3:50.61.

Thorpe chegou ao Mundial com o quarto melhor tempo da temporada. O italiano Brembila era o melhor tempo do mundo e se repetisse os 3:45 que havia feito no ano anterior no Campeonato Europeu teria vencido a prova. Acabou em quarto lugar com 3:48.60.

Também estava na final o campeão olímpico dos 400 metros nado livre em Atlanta 1996, o neo-zelandês Danyon Loader que terminou em oitavo lugar com 3:52.26.

Uma prova vencida numa estratégia impressionante de Thorpe. Virou até a metade da prova na terceira posição, tomou o segundo lugar a partir dos 250 metros, mas estava muito atrás de Grant Hackett.

Foi no último parcial de prova, Thorpe colocou aquela pernada incrível e conseguiu passar seu companheiro apenas no toque da chegada. Estava ali o primeiro título individual da carreira do australiano que viria a se tornar no melhor nadador de seu país na história. O mais jovem campeão mundial de todos os tempos.

O brasileiro Luiz Lima foi o nosso representante entre os 41 nadadores de 32 países na prova. Luiz ficou em 14o nas eliminatórias com 3:55.81 e na final B melhorou para 3:52.97 terminando em 10o lugar atrás apenas do sul-africano Ryk Neethling.

Veja esta fantástica e histórica prova:

Best Vídeo: A prova e a técnica Molly Hannis

0

Veja aqui os 50 metros de peito de Molly Hannis quebrando a barreira dos 30 segundos pela primeira vez na carreira.

Aqui, outro vídeo,  a técnica de nado de Molly Hannis e sua devolução impressionante com jogada de quadril a frente. Estilo muito dominante no trabalho de braçada com uma ondulação muito forte.

Molly Hannis se torna a 4a melhor nadadora dos 50 metros peito da história

0

A americana Molly Hannis quebrou a barreira dos 30 segundos nos 50 metros peito pela primeira vez no TYR Pro Swim Series. A nadadora de 25 anos de idade que treina no Tennessee tinha 30.19 feitos no GP de Charlotte no ano passado. Com isso, ela se tornou na oitava mulher da história a nadar para 29, a quarta melhor da prova na oitava melhor performance.

10 melhores performances dos 50 metros peito feminino
29.40 Lilly King no Mundial de Budapeste 30/07/2017
29.48 Ruta Meilutyte no Mundial de Barcelona 28/07/2013
29.52 Yulia Efimova no Mundial de Barcelona 28/07/2013
29.57 Yulia Efimova no Mundial de Budapeste 30/07/2017
29.59 Ruta Meilutyte no Mundial de Barcelona 28/07/2013
29.60 Lilly King no Mundial de Budapteste 29/07/2017
29.66 Lilly King no Campeonato Americano 29/06/2017
29.71 Molly Hannis no GP Austin 13/01/2018
29.73 Yulia Efimova no Mundial de Budapeste 29/07/2017
29.74 Ruta Meilutyte no Mundial de Kazan 08/08/2015

10 melhores nadadoras dos 50 metros peito fmeinino
29.40 Lilly King dos Estados Unidos em 2017
29.48 Ruta Meilutyte da Lituânia em 2013
29.52 Yulia Efimova da Rússia em 2013
29.71 Molly Hannis dos Estados Unidos em 2018
29.80 Jessica Hardy dos Estados Unidos em 2009
29.94 Alia Atkinson da Jamaica em 2013
29.95 Breeja Larson dos Estados Unidos em 2013
29.99 Katie Meili dos Estados Unidos em 2017
30.05 Jennie Johansson da Suécia em 2015
30.11 Rebecca Soni dos Estados Unidos em 2009

Paltrinieri vence duelo dos 1500 na Austrália, fácil, fácil…

0

O italiano Gregorio Paltrinieri cumpriu sua missão, o australiano Mack Horton nem tanto. Paltrinieri, a convite do amigo, está há alguns meses treinando em Melbourne, na Austrália, começando a temporada de 2018 de forma diferente. Neste final de semana, os dois disputam o Victorian State Championships e Horton mesmo vencendo os 400 metros nado livre, onde era o favorito, levou um calor do italiano.

Esta manhã, no encerramento da competição em Melbourne, na última prova individual, Paltrinieri venceu fácil a prova com um modesto 15:12.96. Horton só chegou quase 13 segundos atrás com 15:25.80 em terceiro lugar, pois o japonês Ayatsugu Hirai, especialista em provas de águas abertas chegou em segundo com 15:21.33.

Na prova de Paltrinieri 4:58.06 para os primeiros 500 metros, 5:08.03 para os segundos 500 metros e fechando 5:04.97 para os 500 metros finais da prova.

Os amigos dentro e fora d’água Horton & Paltrinieri

O casal Emily Seebohm e Mitchell Larkin quase teve um dia perfeito. Quase pois Seebohm fez a parte dela vencendo as provas de 200 medley e 50 costas, enquanto Larkin levou os 400 medley, mas foi batido na chegada por Ben Treffers nos 100 costas. Foi a segunda derrota de Larkin para Treffers que já havia vencido os 50 costas.

Nos 50 metros nado livre quem venceu foi James Roberts com 22.53. Kyle Chalmers que venceu os 100 e 200 metros nado livre, terminou em nono, vencendo a final B com 23.35.

Vencedores de provas de hoje:
1500 metros nado livre feminino – Sophie Caldwell 17:06.62
200 metros borboleta feminino – Sehyeon An 2:10.96
100 metros borboleta masculino – Edward Marks 53.65
50 metros peito feminino – Jessica Hansen 31.37
200 metros peito masculino – Matt Wilson 2:11.66
200 metros nado livre feminino – Emma McKeon 1:57.54
50 metros nado livre masculino – James Roberts 22.53
200 metros medley feminino – Emily Seebohm 2:14.17
400 metros medley masculino – Mitchell Larkin 4:19.78
50 metros costas feminino – Emily Seebohm 28.09
100 metros costas masculino – Ben Treffers 44.89
1500 metros nado livre masculino – Gregorio Paltrinieri 15:12.96

Link para os resultados completos:

http://liveresults.swimming.org.au/VIC/17-18/VOLCC/

Explicando o “mistery medley” do GP de Austin

0

A idéia original é australiana, mas os americanos deram uma revisada e aplicaram o seu primeiro “mistery medley” na disputa do TYR Pro Swim Series em Austin, no Texas. O evento fechou a terceira etapa disputada ontem na piscina da Universidade do Texas e foi um sucesso para quem assistiu.

O medley misterioso começa com as eliminatórias pela manhã onde todos atletas disputam a prova normalmente apontando os oito finalistas para a prova. Estes oito atletas momentos antes de entrar para nadar a prova sorteiam suas raias e a respectiva ordem dos quatro nados já previamente determinada pela organização. Ou seja, os atletas entram para a prova sem saber qual será a ordem do medley a ser aplicada que pode ser desde a normal, ou invertida, ou qualquer outra variação dos quatro nados. A disputa fica bastante interessante, ainda mais pela alternância de posições durante a disputa.

No feminino, quem venceu foi Madisyn Cox com 2:16.12:

Veja como foi a prova masculina onde o jovem Carson Foster de 16 anos venceu com 2:03.18.

O “mistery medley” nasceu na Austrália. Lá, a prova é disputada de forma diferente com os atletas decidindo que ordem irão aplicar na disputa sem informar a seus adversários. A ordem normal (borboleta, costas, peito e crawl) é proibida.

Nathan Adrian vence 50 livre no GP de Austin com 22.21

0

Um dia depois de vencer os 100 metros nado livre sendo o único a nadar abaixo dos 49 segundos (48.75), Nathan Adrian chegou a sua segunda vitória no TYR Pro Swim Series em Austin, no Texas, levando os 50 metros nado livre com 22.21, 13 centésimos a frente de Michael Andrew.

O terceiro dia de disputas do GP de Austin foi recheado de novidades. As provas de 50 metros foram disputadas em sistema de eliminatórias até uma grande final. Nas eliminatórias pela manhã, com a presença de todos nadadores, Adrian fez o segundo tempo com 22.62. Michael Andrew foi o melhor com 22.04.

Na parte da tarde, mais três disputas. Nas semifinais, oito nadadores, Adrian novamente em segundo 22.47, Andrew novamente em primeiro 22.12. Nas finais, quatro nadadores, Adrian fez o seu melhor tempo no dia 22.08, Andrew em segundo com um centésimo atrás. Na super final, apenas os dois, Nathan Adrian 22.21 e Michael Andrew 22.34.

O mesmo formato foi utilizado para as outras provas de 50 metros nos estilos com um belo resultado de Molly Hannis quebrando pela primeira vez a barreira dos 30 segundos nos 50 metros peito feminino levando com 29.71.

Outra prova que chamou a atenção foi o “mistery medley” onde a ordem dos estilos para cada nadador e sua raia é determinada num sorteio momentos antes da prova. Nas eliminatórias todos atletas disputam a prova de medley normal, apontando os oito finalistas que participam deste sorteio de ordem da prova. Madisyn Cox venceu no feminino e Carson Foster no masculino.

Vencedores das provas de sábado:
400 metros nado livre masculino – Zane Grothe 3:48.59
50 metros nado livre feminino – Margo Geer 24.90
50 metros nado livre masculino – Nathan Adrian 22.21
50 metros costas feminino – Regan Smith 27.85
50 metros costas masculino – Matt Greevers 24.81
400 metros nado livre feminino – Bingjie Li 4:06.87
50 metros peito feminino – Molly Hannis 29.71
50 metros peito masculino – Nic Fink 27.44
50 metros borboleta feminino – Amanda Kendall 26.07
50 metros borboleta masculino – Jack Conger 23.37
200 metros medley feminino – Madisyn Cox 2:16.12
200 metros medley masculino – Carson Foster 2:03.18

O TYR Pro Swim Series de Austin termina esta manhã com as provas de 1500 metros nado livre feminino e masculino.

Link para os resultados completos:

http://txlameetresults.com

PUBLICIDADEFABIOLA MOLINA
ATLETA ESTUDANTE
SWIM CHANNEL
MAXI HOT AQUECEDORES

Coach no Instagram

PUBLICIDADEMANSUR SPORTS