João Luis Gomes 59.60, bronze nos 100 peito no Pan Pacífico

0
146
FABIOLA MOLINA

João Luiz Gomes Jr. foi a primeira, e única medalha do Brasil na abertura do Pan Pacífico em Tóquio. Foi dia de seis atletas nas finais da abertura da competição. Confira aqui prova a prova:

800 metros nado livre feminino –
Katie Ledecky começou a sua campanha no Pan Pacífico com a esperada vitória, 8:09.13, quinta melhor marca da história. Ela nadou melhor no TYR Pro Swim Series de Indianápolis, em maio, quando fez 8:07.27, melhor marca do mundo este ano. Com o tempo de hoje, Ledecky agora acumula as 20 melhores marcas da história nos 800 metros nado livre.
Seus parciais:
57.91, 1:59.10, 3:00.66, 4:02.21, 5:03.85, 6:05.61, 7:08.10, 8:09.13.
Boa disputa pela prata, acirrada até o fim, e melhor para a jovem australiana Ariarne Titmus de 18 anos fazendo a sua melhor marca pessoal 8:17.07 batendo a americana Leah Smith 8:17.21.

1500 metros nado livre masculino –
Domínio americano, tanto nas séries da manhã quando Zane Grothe fez 14:48.40 quando na final com Jordan Wilimovsky com 14:46.93. O terceiro tempo também foi americano, Robert Finke 14:48.70, mas quem levou o bronze pelo regulamento do Pan Pacífico foi o australiano Jack Mcloughlin 14:55.92. Assim, o brasileiro Guilherme Costa ficou em quarto lugar com 15:03.40, seu quinto melhor tempo superando por pouco a marca feita no Troféu Brasil de abril.
Seus parciais: 56.88, 1:56.96, 2:57.14, 3:57.30, 4:57.64, 5:58.01, 6:58.94, 7:59.52, 9:00.05, 10:01.08, 11:02.06, 12:0318, 13:04.26, 14:05.06, 15:03.40.

As melhores marcas de Guilherme Costa nos 1500 livre são:
14:59.01 no Open 2017
15:00.54 no Paulista de Verão 2017
15:02.18 no Paulista de Inverno 2017
15:03.35 no Mundial Militar 2017
15:03.40 no Pan Pacífico 2018

100 metros peito feminino –
Vitória de ponta a ponta, mas sem satisfazer a americana Lilly King marcando 1:05.44 com parciais de 30.45 e 34.99. Fez um pouco melhor na seletiva americana na semana passada com 1:05.36. O melhor tempo do mundo na temporada segue com Yulia Efimova da Rússia com 1:04.98 do Sette Colli em julho.
Prata e bronze apertadas, Jessica Hansen da Austrália chegou em segundo com 1:06.20 apenas 14 centésimos a frente da japonesa Reona Aoki, terceira colocada com 1:06.34.
Na sétima colocação chegou Julia Sebastian, nadadora argentina que treina na Unisanta e com 1:07.69, quebrou o recorde nacional de seu país que pertencia a Macarena Ceballos 1:07.76 feitos no Troféu Brasil deste ano em abril. A marca de Sebastian lhe deixa a apenas dois centésimos do recorde sul-americano da prova que é de Tatiane Sakemi desde 2009.

100 metros peito masculino –
Seis dos oito finalistas para 59, melhor para o japonês Yasuhiro Koseiki conquistando o bi campeonato do Pan Pacífico marcando 59.08. O brasileiro João Luiz Gomes Jr. ganhou a nossa primeira (e única até agora) medalha terminando na terceira colocação com 59.60. Nos parciais, João 27.74 e 31.86. Nas eliminatórias, João Gomes havia feito 59.74 com parciais de 28.03 e 31.71. Koseki sempre teve a liderança da prova, João Gomes passou em terceiro, chegou a cair para quarto mas conseguiu segurar a volta e garantiu o bronze na prova.
Esta foi a 10a vez que João Gomes quebrou a barreira do minuto nos 100 metros nado peito. É o brasileiro que mais vezes fez isso. Sua melhor marca pessoal é 59.06 feitos na seletiva olímpica para o Rio 2016.

200 metros nado livre feminino –
A grande surpresa do dia. Katie Ledecky fez o melhor tempo das eliminatórias, novo recorde de campeonato 1:55.16, e depois dos 800 metros nado livre não conseguiu segurar a juventude da canadense Taylor Ruck e da japonesa Rikako Ikee.
Desde o início, Taylor Ruck na frente, 26.82 nos primeiros 50 metros, Ledecky em segundo 27.09. Na altura dos 100 metros, Ruck 55.73, Ledecky 55.85. Nos 150 metros, Ruck 1:25.13 aumentando a diferença, Ledecky 1:25.76 e chegando a japonesa Ikee 1:25.80. Nos 50 metros finais, Ruck campeã e nova recordista de campeonato com 1:54.44, novo recorde nacional do Canadá e melhor tempo do mundo em 2018. Rikako Ikee foi prata 1:54.85, novo recorde nacional japonês e Ledecky em terceiro, 1:55.15.
Em sua carreira internacional, desde 2012, foi a primeira medalha de bronze conquistada pela nadadora. São 25 medalhas de ouro, 2 de prata e agora o seu primeiro bronze.
Na final B, bem melhor do que os 2:02.21 feitos nas eliminatórias, Larissa Oliveira nadou a prova tentando arrisar ao máximo. Sentiu no final, mas mesmo assim nadou para 1:58.80 com parciais de 27.62, 57.38, 1:27.81 e 1:58.80. Vale destacar que no giro pela Europa, no mês passado, sem descansar, Larissa nadou duas vezes melhor do qu eisso. Fez 1:58.55 no Sette Colli e 1:58.66 no Aberto da França.

200 metros nado livre masculino –
Primeira competição do mundo com três nadadores na casa dos 1:45. E um desempenho muito bom e corajoso de Fernando Scheffer que chegou na quarta colocação.
Townley Haas dos Estados Unidos saiu na frente e lá se manteve desde o início. Venceu com 1:45.56, terceiro tempo do mundo em 2018. Seus parciais 24.15,50.56, 1:18.24 e 1:45.56. Andrew Seliskar, assim como fez na seletiva americana, cresceu no final da prova, chegou forte 1:45.74 e o japonês Katsuhiro Matsumoto fechou melhor que o brasileiro lhe tirando o bronze com 1:45.92.
Scheffer chegou logo em seguida, 1:46.12, três centésimos acima do seu recorde sul-americano feito no Troféu Brasil.
Comparando os parciais de Scheffer:
Troféu Brasil 25.06, 51.54, 1:18.37, 1:46.08
Pan Pacífico 24.33, 51.00, 1:18.45, 1:46.12
Luiz Altamir Melo que havia feito 1:47.19, seu melhor tempo em eliminatórias, ficou em oitavo, mas piorou, 1:47.43. Seus parciais: 24.79, 52.04, 1:19.54, 1:47.43.

400 metros medley feminino –
Melhor nadadora do mundo em 2018, Yui Ohashi do Japão confirmou o favoritismo e não teve dificuldades para vencer com 4:33.77. No Campeonato Japonês em abril bateu o recorde nacional de seu país com 4:30.82. Seus parciais de vitória: 1:01.43, 2:11.00, 3:29.52, 4:33.77.
A americana Melanie Margalis conseguiu a prata batendo a japonesa Sakiko Shimizu no fijnal 4:35.60 contra 4:36.27.

400 metros medley masculino –
A prova mais esperada, mais promovida não teve o confronto que se prometia. Chase Kalisz passou atrás até a metade da prova, mas a partir do nado peito, a disputa ficou sem graça. O americano fez o melhor tempo do mundo em 2018 com 4:07.95 deixando os japoneses um tanto longe, Kosuke Hagino em segundo com 4:11.13 e Daiya Seto em terceiro 4:12.60.
Parciais de Kalisz 56.00, 2:00.05, 3:08.44 e 4:07.95.
Ao final da prova, as câmeras filmaram a sua esposa Yuka Mabuchi na arquibancada segurando o primeiro filho do casal recém nascido este ano.
Para o Brasil, dois nadadores na final. Brandonn Almeida fez 4:15.71 e Leonardo Santos 4:21.60 nas eliminatórias. Na final, os dois baixaram em relaçnao aos tempos da manhã. Brandonn terminou em sexto lugar 4:14.53 e Leonardo em sétimo quebrando a barreira dos 4:20 pela primeira vez com 4:18.90.
Parciais dos brasileiros:
Brandonn 58.21, 2:01.54, 3:14.73, 4:14.53
Leo Santos 57.24, 2:02.38, 3:18.58, 4:18.90

Revezamento 4×100 metros medley misto –
Boa prova da Austrália, primeiro ouro deles no Pan Pacífico na prova que vai ser olímpica em 2020. Colocaram os homens para nadar os parciais de costas e peito chegaram a estar em segundo, atrás do Japão, mas em nenhum momento ameaçados pela equipe que é campeã e recordista mundial, os Estados Unidos que terminaram em terceiro lugar.

Confira os parciais das três equipes:
Austrália
Mitchell Larkin 53.08, Jake Packard 58.68, Emma McKeon 56.22, Cate Campbell 50.93
Japão
Ryosuke Irie 52.83, Yasuhiro Koseki 58.57, Rikako Ikee 55.53, Aoki Tomoi 54.05
Estados Unidos
Kathleen Baker 59.29, Michael Andrew 59.21, Caeleb Dressel 50.50, Simone Manuel 52.74

Classificação quadro de medalhas ao final do primeiro dia:
Estados Unidos 11 medalhas, 5 ouros, 3 pratas, 3 bronzes
Japão 9 medalhas, 2 ouros, 3 pratas, 4 bronzes
Austrália 5 medalhas, 1 ouro, 3 pratas, 1 bronze
Canadá 1 medalha, 1 ouro
Brasil 1 medalha, 1 bronze

Link para os resultados completos:
http://swim.seiko.co.jp/en/2018/S80701/eng_index.htm

Deixe uma resposta