O time do Brasil para as águas abertas do Pan Pacífico

0
196
FABIOLA MOLINA

Ana Marcela Cunha, Viviane Jungblut, Allan do Carmo e Victor Hugo Colonese, são os quatro nomes apontados na seletiva de ontem para representar o Brasil na prova de 10 quilômetros do Pan Pacífico 2018. A disputa será no dia 14 de agosto, dois dias após o fim das provas de piscina. Inicialmente marcada para a Baía de Tóquio, a prova mudou de local pela falta de balneabilidade. Agora, a disputa será na praia de Hojo, Distrito de Tateyama a cerca de 100 quilômetros de Tóquio. O novo local é um ponto turístico e com um mar mais agitado, e temperatura mais baixa. Se os brasileiros não vão poder experimentar a “praia olímpica” de Tóquio 2020, poderão enfrentar alguns dos melhores nadadores do mundo e a oportunidade de conhecer onde acontecerá a disputa nos Jogos de 2020.

Dos quatro nadadores classificados, três são baianos (Ana Marcela, Allan e Victor) e uma gaúcha. Os dois estados seguem com uma tradição incrível na modalidade.

As águas abertas estão no Pan Pacífico desde a edição de 2006. O Brasil vai participar pela primeira vez da competição na modalidade. No último Pan Pacífico, em 2014, na Austrália, os americanos Haley Anderson e Andrew Gemmell foram os vencedores em prova que correu sério risco de ser cancelada por risco de tubarões no local da disputa.

Ana Marcela Cunha é a mais veterana da Seleção Brasileira de Águas Abertas. Aos 26 anos, Ana Marcela está completando 12 anos de seleção principal desde a estreia no Mundial de Nápoles, na Itália, em 2006. No ano passado, Ana Marcela foi apontada pela FINA como a melhor nadadora do mundo na modadalide. É a terceira vez que chega a esta conquista. Treinando e morando na África do Sul, Ana Marcela viajou para lá no ano passado acompanhando seu treinador Fernando Possenti.

Allan do Carmo apareceu na temporada seguinte e tem se mantido na equipe principal desde então. Um verdadeiro rodízio tem acontecido com a segunda vaga masculina nas seleções nacionais. A primeira tem sido sempre de Allan. Campeão do Circuito da Copa do Mundo de 2014, Allan também foi escolhido o melhor nadador do mundo pela FINA naquele ano.

Victor Hugo Colonese é o terceiro baiano do grupo. Chegou a Seleção Juvenil no Sul-Americano de 2009 quando terminou a prova de 5 quilômetros em quarto lugar. Dois anos depois, a estreia na equipe principal no Mundial de Shanghai. Terminou na 22a colocação. Também esteve em Kazan 2015 e no Mundial de Budapeste no ano passado. O melhor resultado foi o 9o lugar de Kazan, mas sempre na prova dos 5 quilômetros. Vencedor do Brasileiro de 2015, esta será a sua primeira grande chance na prova dos 10 quilômetros.

Viviane Jungblut é a gaúcha do grupo. Formada e desenvolvida no Grêmio Náutico União apareceu para as águas abertas em 2014. Naquele ano, foi o melhor resultado do Brasil no Mundial Júnior da modalidade ao terminar em quinto lugar a prova dos 7,5 quilômetros em Eilat, Israel. Ainda em 2014, fez um trabalho duplo participando da natação nos Jogos Olímpicos da Juventude em Nanjing, na China, onde ficou em nono lugar nos 400 metros nado livre. No ano passado, surpreendeu ao ganhar a vaga de Poliana Okimoto para o Mundial de Budapeste, a sua estreia na Seleção Principal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here