FABIOLA MOLINA

A maior esperança da Argentina para os Jogos Olímpicos da Juventude é a nadadora com maior evolução no continente. Delfina Pignatiello, 17 anos de idade, foi a única nadadora da América do Sul que subiu ao pódio no Campeonato Mundial Júnior em agosto passado na cidade de Indianápolis, nos Estados Unidos.

Campeã dos 800 e 1500 metros nado livre, Delfina também foi prata nos 400 metros na primeira vez que a Argentina bateu o Brasil em medalhas em Campeonatos Mundiais. Foi também a primeira vez que o Brasil saiu em branco, sem subir ao pódio do Mundial Júnior.

Delfina Pignatiello havia feito marca suficiente para estar no time que foi ao Mundial de Budapeste, mas por orientação de seu treinador o veterano Juan Carlos Martin, “El Gallego”, optou por ficar de fora da competição absoluta e focar no Mundial Júnior. O objetivo é um trabalho de vários anos e focando nos Jogos Olímpicos da Juventude.

2017 foi muito especial para Delfina. Terminou o colégio, ganhou uma bolsa do Governo e garantiu que irá cursar universidade treinando na Argentina na piscina de San Isidro sob o comando do Gallego.

O ano terminou ainda mais especial ao ser agraciada como a melhor atleta do país vencendo o prêmio Olimpia de Oro, maior premiação do esporte argentino e que é resultado da escolha da Associacion de los Periodistas Deportivos de Buenos Aires. Desde 1954, foi a nona vez que uma mulher venceu o cobiçado prêmio e Delfina igualou a conhecida tenista Gabriela Sabattini, vencedora do prêmio aos 17 anos em 1987.

Na natação, foi a apenas a quinta vez que um atleta do esporte levou a premiação, igualando os feitos de: Luis Nicolao em 1961, Horacio Iglesias em 1973, Diego Degano em 1972 e José Meolans em 1997. Nem Georgina Bardach, medalhista de bronze nos 400 medley dos Jogos Olímpicos de Atenas 2004 foi vencedora do Olimpia de Oro.

Dedicada, simples e obstinada. Delfina treina muito. São dez sessões semanais de água, quatro dobras, numa evolução incrível nos últimos anos. A primeira vez que se ouviu falar de Delfina foi no Sul-Americano Juvenil de 2015 em Lima, no Perú. Lá, Delfina venceu apenas os 800 metros nado livre deixando a brasileira Rafaela Raurich seis segundos atrás. Rafaela foi melhor nos 200 e 400 levando o ouro com a argentina ficando com a prata.

Já em 2016, Delfina se sagrava campeã nacional absoluta da Argentina nas suas provas com apenas 16 anos de idade. Ganhou sua primeira convocação para a Seleção Principal e foi ao Mundial de Windsor batendo o seu primeiro recorde nacional, os 800 metros nado livre em piscina curta.

Este ano, Delfina brilhou no Mundial Júnior de Indianápolis e foi também destaque nos Jogos Sul-Americanos da Juventude em Santiago, no Chile, onde ganhou seis medalhas, três de ouro, duas de prata e um bronze. Ainda foi a porta-bandeira do desfile de abertura na competição.

Para 2018, Delfina tem os Jogos ODESUR em Cochabamba, na Bolívia,  o Sul-Americano Absoluto em Trujillo, no Perú, mas principalmente os Jogos Olímpicos da Juventude. Vai ser lá, em casa, diante da torcida argentina que Delfina vai nadar em busca de fazer história.

O retrospecto está a seu favor. É favorito para a prova dos 800 metros nado livre e tem boas chances também nos 400. A Argentina nunca venceu uma medalha na natação das duas edições da competição em 2010 e 2014.


Todos os campeões do Olimpia de Oro

Ano Vencedor Esporte
1954 Juan Manuel Fangio Automobilismo
1955 Pascual Pérez Boxe
1956 Jorge Bátiz Ciclismo
1957 Pedro Dellacha Futebol
1958 Osvaldo Suárez Atletismo
1959 Luis Federico Thompson Boxe
1960 Rodolfo Hossinger Aviação
1961 Luis Nicolao Natação
1962 Norma Baylon Tênis
1963 Juan Carlos Dyrzka Atletismo (400 metros)
1964 Carlos Moratorio Equitação
1965 Bernardo Otaño Rugby
1966 Horacio Accavallo Boxe
1967 Roberto de Vicenzo Golfe
1968 Nicolino Locche Boxe
1969 Alberto Demiddi Remo
1970 Roberto de Vicenzo Golfe
1971 Alberto Demiddi Remo
1972 Carlos Monzón Boxe
1973 Horacio Iglesias Natação
1974 Guillermo Vilas Tênis
1975 Guillermo Vilas Tênis
1976 Juan Carlos Harriott Polo
1977 Guillermo Vilas Tênis
1978 Daniel Martinazzo Hockey sobre patins
1979 Diego Maradona Futebol
1980 Sergio Víctor Palma Boxe
1981 Marcelo Alexandre Ciclismo
1982 Santos Laciar Boxe
1983 Santos Laciar Boxe
1984 Santos Laciar Boxe
1985 Hugo Porta Rugby
1986 Diego Maradona Futebol
1987 Gabriela Sabatini Tênis
1988 Gabriela Sabatini Tênis
1989 Eduardo Romero Golfe
1990 Pedro Décima Boxe
1991 Oscar Ruggeri Futebol
1992 Diego Degano Natação
1993 Marcelo Milanesio Basquete
1994 Julio César Vásquez Boxe
1995 Nora Vega Patinação
1996 Carlos Espínola Windsurf
1997 José Meolans Natação
1998 Andrea González Patinação
1999 Gonzalo Quesada Rugby
2000 Las Leonas Hockey sobre grama
2001 José Cóceres Golfe
2002 Cecilia Rognoni Hockey sobre grama
2003 Emanuel Ginóbili Basquete
2004 Emanuel Ginóbili Basquete
Carlos Tévez Futebol
2005 David Nalbandian Tênis
2006 Germán Chiaraviglio Atletismo
2007 Ángel Cabrera1 Golfe
2008 Juan Curuchet Ciclismo
Walter Pérez Ciclismo
2009 Juan Martín Del Potro Tênis
2010 Luciana Aymar Hockey sobre grama
2011 Lionel Messi2 Futebol
2012 Sergio Martínez Boxe
2013 Marcos Maidana Boxe
2014 Adolfo Cambiaso Polo
2015 Paula Pareto Judo
2016 Juan Martín del Potro Tênis
2017 Delfina Pignatiello Natação

 


Evolução de Delfina Pignatiello nas suas provas

1500 LIVRE ANO RANKING ARGENTINO RANKING MUNDIAL IDADE
15:59.51 2017 1 5 17
800 LIVRE ANO RANKING ARGENTINO RANKING MUNDIAL IDADE
8:25.22 2017 1 14 17
8:47.74 2016 2 X 16
8:52.32 2015 2 X 15
400 LIVRE ANO RANKING ARGENTINO RANKING MUNDIAL IDADE
4:08.33 2017 1 30 17
4:13.75 2016 1 X 16
4:15.35 2015 2 X 15

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here