Filippo Magnini anuncia aposentadoria no Campeonato Italiano

0
138
FABIOLA MOLINA

Filippo Magnini deixou a natação da forma como começou. Foi o que ele disse hoje em declaração surpresa ao sair da piscina após chegar em terceiro lugar nos 200 metros nado livre do Campeonato Italiano de Piscina Curta. Seu tempo, 1:45.10, atrás dos jovens Filippo Megli de 20 anos, 1:43.92 e Fabio Lombini de 19, 1:44.60.

Mais distante ainda do seu recorde italiano 1:41.65, o último que lhe resta para quem já teve o dos 100 livre em curta com 46.52 e as duas provas na longa, 48.04 e 1:47.20.

Anúncio da despedida hoje em Riccione 

Magnini deixa o esporte como Capitão da Seleção Italiana, esteve em quatro Olimpíadas e seis Campeonatos Mundiais. Uma carreira espetacular de 53 medalhas internacionais.

Natural de Pesaro, na região Nordeste da Itáia, as margens do Mar Adriático tentou de tudo antes de chegar a natação. Jogou volei, basquete, futebol, tênis, até volei de praia. Aos 10 anos, era definitivamente nadador. Mas nadava peito e assim ficou até os 18 anos de idade.

Na época, a Itália buscava um quarto nadador para o revezamento 4×100 metros nado livre que despontava ser forte. A busca nacional por este nadador, fez Magnini tentar e conseguir a vaga.

 (ANSA/AP Photo/Matt Dunham)

Em 2003, o seu primeiro grande resultado na nova prova, medalha de prata nos 100 metros nado livre do Cameponato Europeu de Piscina Curta, em Dublin, na Irlanda. No ano seguinte, chegava a final dos 100 livre, quinto lugar nos Jogos Olímpicos de Atenas e fez parte do bronze no revezamento 4×200 metros nado livre.

Magnini campeão mundial 100 livre Montreal 2005 

Foi coroado como o Rei Pippo ao vencer os 100 metros nado livre no Mundial de Montreal em 2005. Em 2007, se sagrou bi campeão da prova, agora dividindo o ouro num empate com o canadense Brent Hayden.

Além do bronze olímpico, Magnini deixa o esporte com quatro medalhas em Campeonatos Mundiais de longa, nove medalhas em Mundiais de Curta, 18 medalhas em Europeus de Longa, 17 medalhas em Europeus de Curta.

Na Itália é respeitado como um dos mais vitoriosos nadadores de todos os tempos. São 31 títulos nacionais absolutos em 56 medalhas conquistadas.

Magnini bi campeão mundial 100 livre Melbourne 2007 

No discurso surpresa de despedida de hoje, um agradecimento e um pedido de desculpas. Dedicou e entregou sua última medalha, o bronze dos 200 metros nado livre, para o ex-treinador Claudio Rossetto. No agradecimento, o reconhecimento de que fez coisas boas e erradas durante sua carreira. Todos os seus melhores resultados foram conquistados com Rossetto e que jamais poderia esquecer de agradecê-lo neste momento.

Magnini deixou Claudio Rossetto em maus termos. Foi nos Jogos Olímpicos de Londres 2012. Nadou mal nas eliminatórias dos 100 livre e nem passou para a semifinal terminando em 19o lugar com 49.43. Antes, no revezamento 4×100 metros nado livre ficou em sétimo.

Foi duro, culpou os treinadores e líderes da Seleção Italiana pelos maus resultados. Terminava ali a sua relação com o treinador. Depois disso, seguiu um caminho independente. Esteve com sua ex-noiva Federica Pellegrini em diversos lugares e treinadores. Encerrou sua carreira treinando com o primo Matteo Giunta.

De personalidade forte, Magnini também foi um defensor ferrenho do esporte limpo. Com críticas públicas a nadadores e países com atletas dopados, Magnini sofreu nos últimos meses. Foi acusado, e depois inocentado, de estar recebendo orientação de um médico suspeito junto de outro nadador italiano, Michelle Santucci. Os dois foram absolvidos.

Aos 35 anos de idade, Filippo Magnini disse que deixa o esporte feliz, mas principalmente por ter, finalmente, encontrado alguma coisa para fazer após a sua bela carreira.

COMPETIÇÃO OURO PRATA BRONZE TOTAL
Jogos Olímpicos 0 0 1 1
Mundial Longa 2 1 1 4
Mundial Curta 2 5 2 9
Europeu Longa 9 4 5 18
Europeu Curta 8 5 4 17
Italiano Absoluto 31 19 7 57

DEIXE UMA RESPOSTA