No Dia do Irmão, lembrando os irmãos Silva de Rondônia

0
245

Quem são eles, de onde vieram, do que se alimentam, como apareceram, não foi chamada de Globo Repórter por Sérgio Chapelin. Foi apenas o sintoma geral quando uma dupla de irmãos de Rondônia apareceu fazendo barulho nos Campeonatos Nacionais.

Neste 5 de setembro, no Dia do Irmão, a Best Swimming traz a história dos irmãos Silva de Rondônia, Fábio Mauro e Augusto que fizeram história no final da década de 90 no nado peito do Brasil. Durante o Finkel deste ano, a Best Swimming destacou dois irmãos no pódio da mesma competição não acontecia desde as irmãs Comini, mas em outubro deste ano, vamos celebrar 20 anos de dois irmãos no pódio dividindo a mesma medalha no Troféu Brasil.

Fábio Mauro com seu antigo treinador Ivan Azevedo

Fábio Mauro Silva é o mais velho, nasceu em 23 de dezembro de 1977, Augusto Celso, o mais novo, 16 de maio de 1980. Nascidos e criados em Porto Velho, Rondônia, eram destaque desde as categorias menores nas competições estaduais e regionais. Em 1996, o técnico Ivan Azevedo levou Guto para participar de um torneio Sudeste, em São José do Rio Preto.

O resultado e principalmente a técnica chamou logo a atenção do treinador Alberto Klar do Pinheiros. Um convite veio quase que imediatamente. Inicialmente recusado pelo pai, seu Miguel, a única chance era uma venda casada, oferecendo também o irmão mais velho, Fábio Mauro. A mãe, Dona Maria do Nazaré, foi irredutível, “ou vai os dois, ou não vai ninguém”.

Fábio Mauro e seu Miguel no Rio 2016, o responsável pela “venda casada”

O acordo acabou sendo um training camp para Fábio Mauro passar treinando duas semanas treinando no Pinheiros antes de disputar o Troféu José Finkel de 1996, na piscina do Internacional, em Santos. O teste seria definitivo para aceitar a dupla de irmãos.

Após duas semanas treinando com o grupo do Pinheiros, Fábio Mauro disputa o Finkel e nem chegou perto das finais, nem A, nem B, mas uma melhora significativa no tempo dos 200 peito chamou a atenção. Foram seis segundos com apenas duas semanas de treino.

Era o que faltava. Em fevereiro de 1997, Fábio Mauro e Augusto Celso chegavam a São Paulo para defender as cores do Pinheiros. Com poucos meses de trabalho, Guto foi campeão paulista de inverno, Fábio Mauro medalhista de bronze, agora era a hora dos Campeonatos Nacionais.

No Finkel de 1997, novamente no Internacional, os dois chegam a final, Guto foi sétimo, e Fábio Mauro, depois de classificar com o primeiro tempo, terminou e quarto lugar nos 200 peito.

O show dos irmãos Silva viria quatro meses depois, outubro de 1997, Troféu Brasil na piscina do Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte. Nos 100 peito, Allan Pessotti dominava na época, venceu com facilidade 1:03.83, mas os irmãos Silva dividiram a medalha de prata com 1:06.29.

Nos 200 peito, Fábio Mauro conquistou o ouro com 2:23.37 e seu irmão Guto levou a prata com 2:23.92. Marcelo Tomazini, companheiro de clube, foi bronze com 2:24.01, fazendo o pódio completo com as cores do Pinheiros.

Para fechar a competição, na última prova, os dois irmãos na água e no pódio novamente. Guto nadou com a equipe A do Pinheiros e levou a prata no 4×100 medley enquanto Fábio Mauro na equipe B ficou com o bronze.

Os irmãos Silva ainda brilharam muito pelo Pinheiros e também pela Seleção Brasileira. Fábio Mauro até fez parte da equipe do Brasil nos Jogos Pan Americanos de 1999 em Winnipeg.

No Dia dos Irmãos, não haveria melhor recordação para a Best Swimming homenagear. Num mesmo campeonato nacional absoluto, três provas, dois irmãos vencendo medalhas juntos.

Augusto e Fábio, Feliz Dia do Irmão

Fábio Mauro Silva, hoje é head coach do Coastal Aquatics em Myrtle Beach, na Carolina do Sul. Augusto Celso Silva é diretor geral do Serviço Nacional de Emprego em Porto Velo, Rondônia.

DEIXE UMA RESPOSTA