Diário do Mundial – 14 de julho de 2017

0
423
Campeonato Mundial de Desportos Aquaticos. City Park - Varosliget Lake . 14 de Julho de 2017, Hungria, Budapeste. Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA
FABIOLA MOLINA

Começou! O Mundial de Budapeste/Balaton, começou nesta sexta-feira, sem dúvidas, com a maior festa de abertura já feita na história da competição. Vocês não tem idéia do que foi isso aqui. Mesmo localizado a poucos metros do local, sem o ingresso para as arquibancadas, e rodeado de milhares, muitos milhares de pessoas foi impossível ver no local. O melhor foi correr para a TV onde a MS4 Sport, TV nacional que fez a tranmissão ao vivo. A sensação foi “tão perto, tão longe”. Assim que sair o vídeo publicarei no site. Foi fantástico.

* O dia começou nublado, depois sol, e assim se manteve o dia todo. Na arena do nado sincronizado, por sinal linda, o sol faz a torcida sofrer, mas a beleza da disposição montada pela organização bate tudo isso.
* O Brasil não começou bem no primeiro dia. Nem nos saltos, nem no nado, não passamos das eliminatórias.
* Os húngaros são simpáticos, prestativos, um povo bonito. A comunicação é um problema. A língua húngaro é difícil, complicada. Estudei seis meses, me sinto perdido. Passaria fome se morasse aqui. São poucos os voluntários que falam inglês, muito poucos. E os voluntários também são um problema, não sabem muito, muitas vezes não sabem nada. Sei que estamos começando, primeiro dia, mas foi o que se passou no dia de hoje.
* Muito pobre o pacote que a imprensa recebeu do Comitê Organizador. Normalmente recebemos uma bolsa, brindes, souvenirs. Desta vez, veio bem simples, diria até demais. É a crise!
* Tem ônibus do evento para todo lugar, vazios, e demorados, mas eles existem.
* Internet tem sido um destaque deste Mundial. Onde fui, tinha internet. Em alguns lugares perfeita, outros nem tanto, mas nunca fui a um Mundial de Esportes Aquáticos com tamanha oferta. Dá para se trabalhar bem mesmo.
* Hoje tive nas duas arenas de Budapeste. Estive na Duna Arena, saltos e natação, e no Városliget, o Parque da Cidade, para o nado sincronizado. Ambas são lindíssimas. Ainda não pude explorar a Duna. Fui lá para a coletiva de Julio Maglione, ainda não deu tempo. Porém, a arena provisória do nado sincronizado é espetacular. Um palácio ao fundo e disposta sobre um lago que no inverno é pista de patinação, é belíssimo.
* Amanhã vai ser dia de acompanhar as águas abertas. Vamos encarar uma viagem de duas horas de ônibus até Balatonfuered.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here